Atualizado em :31/05/2012
A Rio+20 e os desafios para a economia verde
Em palestra na Universidade de Brasília, Rollemberg criticou a falta de ações propositivas dos governos após a Rio'92 e disse que é preciso definir durante a Rio+20 metas mais claras, com as quais os países possam se comprometer
 
Por Sandra Turcato

Foto: Sheyla LealO senador Rodrigo Rollemberg (PSB/DF) participou na noite desta quarta-feira (30) do IV Strategos, seminário promovido pela empresa júnior do curso de Ciência Política da Universidade de Brasília (UNB). O tema do encontro foi Brasil e Meio Ambiente: Desafios para o Desenvolvimento Sustentável. Presidente da Comissão de Meio Ambiente do Senado, Rollemberg proferiu a palestra Rio+20: desafios para a economia verde. Ao lado do doutor em Sociologia Elimar Nascimento, professor do Centro de Desenvolvimento Sustentável da UnB, Rollemberg falou primeiramente da necessidade de conceituar corretamente a economia verde. 

O parlamentar será um dos representantes do Senado na Conferência das Nações Unidas para o Desenvolvimento Sustentável, a Rio+20. Para ele, o encontro deveria ser um momento de reflexão. "Por que as decisões da Rio´92 não foram implementadas?”, questionou Rollemberg. "Estamos falhando se tomarmos como base o que tinha sido decidido há 20 anos”, lamentou o senador. 

Rollemberg acredita ser preciso definir durante a Rio+20 metas mais claras, com as quais os países precisam se comprometer. "De qualquer forma, é momento de mobilização e conscientização”, define o parlamentar.

Rollemberg sugere algumas dessas metas. A quantidade de água do planeta usada para a agricultura, por exemplo, deveria diminuir de 70% para 60%. "Também deveríamos nos comprometer em garantir acesso universal a água potável”, acrescentou o senador. Ele também sugere a transformação do Programa das Nações Unidas para o Meio Ambiente (Pnuma) em uma agência ou algo com status mais importante na ONU. E ainda um novo índice de medição de desenvolvimento, levando em conta não apenas o PIB, mas também as questões ambientais e sociais. "Precisamos igualmente pensar novos padrões de consumo”, afirmou.

Ao final da palestra, Rollemberg propôs a formulação de uma agenda de convergência focada em sete pontos: água, segurança alimentar, produção de energia elétrica, inovação tecnológica, educação, biodiversidade e democracia. "Precisamos pensar novas alternativas para o desenvolvimento mundial”, finalizou o parlamentar. 

Fonte: Sandra Turcato - Assessora de Imprensa do senador Rodrigo Rollemberg