Atualizado em :14/05/2012
Rollemberg parabeniza governo pelo programa Brasil Carinhoso
Ao elogiar programa que combate a probreza extrema na primeira infância, senador também apresenta dados mostrando que o número de lares chefiados por crianças e adolescentes dobrou no Brasil, na últimas década. Ressaltou ainda que, no país, "a miséria tem a cara da criança”
 
Foto: Sheyla LealO senador Rodrigo Rollemberg (PSB-DF) parabenizou a presidente da República, Dilma Rousseff, pelo lançamento do programa Brasil Carinhoso. Ele afirmou que iniciativas como esta "inovam ao partir do foco nas famílias, de ajudar as famílias para que estas ajudem as crianças”.

Rollemberg disse que o programa destinará R$ 70 por membro da família, desde que esta tenha uma criança de 0 a 6 anos. Também prevê a construção de 1,5 mil creches, além da distribuição de vitamina A nas campanhas de vacinação e da distribuição gratuita de ferro e de remédios contra asma. O programa deve atender a dois milhões de famílias.


Miséria

Dados do censo de 2010, segundo os quais quatro em cada dez brasileiros que vivem na miséria têm até 14 anos de idade, foram citados pelo senador. O censo mostrou também que 3,8 milhões de crianças e adolescentes não têm acesso à escola.

"Sabemos que, no Brasil, a pobreza e a miséria têm a face da criança e dos adolescentes", afirmou o parlamentar, acrescentando que "excluir essa camada da população é, na verdade, excluir o país de seu futuro”. O parlamentar também trouxe dados do Fundo das Nações Unidas para a Infância (Unicef), segundo os quais o número de lares chefiados por crianças e adolescentes dobrou no Brasil, na últimas década. 

Há, segundo ele, 661 mil lares chefiados por jovens entre 15 e 19 anos e outros 113 mil por meninos e meninas de 10 a 14 anos.

Prostituição infantil

Rollemberg destacou ainda a necessidade de se combater a prostituição infantil. Ele afirmou que, segundo o Unicef, o Brasil detém o pior registro de tráfico sexual infantil, depois da Tailândia. O país lidera a prostituição infantil na América Latina, desde a década 1990, com mais de 500 mil crianças prostituídas. "Isso é uma vergonha, que precisa ser enfrentada e superada definitivamente", afirmou.

Fonte: Agência Senado