*/ Senador de Bras?lia:"Sou um senador socialista" - 1º discurso no Senado
 
http://twitter.com/rollembergpsb http://www.facebook.com/pages/Rodrigo-Rollemberg/211341845581927 http://www.orkut.com.br/Main#Profile?uid=3314995351568856873 http://www.youtube.com/rollembergpsb http://www.flickr.com/photos/rodrigorollemberg
 
Discursos
         
Tamanho do texto
Atualizado em :22/03/2011
"Sou um senador socialista" - 1º discurso no Senado
 
O SR. RODRIGO ROLLEMBERG (Bloco/PSB – DF. Pela Liderança. Sem revisão do orador.) – Sr. Presidente, Srªs e Srs. Senadores, ao fazer uso desta tribuna pela primeira vez, sinto-me preso à mais pura emoção, como seria natural, mas também pela profusão de sentimentos que se acumularam ao longo da trajetória de quem, ainda muito cedo, fez da política a clara e consciente opção de vida. Não por outra razão, antes de quaisquer outras considerações, gostaria de externar sinceros agradecimentos a quem muito devo, de quem muito recebi e de cujos ensinamentos retiro preciosas lições a conduzir meus passos na vida pública. Como cristão que acredita na transcendência e que compreende ser a amorosa fraternidade o vínculo mais que perfeito entre o Criador e a criatura, agradeço a Deus o dom da vida e a permanente dádiva de ter os caminhos por ele iluminados. 
Mais que agradecimento, desejo que minhas palavras iniciais sejam de sincera e emocionada homenagem aos meus pais. Lembro meu pai, Armando Leite Rollemberg, cuja presença na vida pública – seja como Deputado Federal, seja como mais jovem Ministro nomeado pelo Presidente João Goulart para o Tribunal Federal de Recursos, hoje Superior Tribunal de Justiça – pautou-se, do princípio ao fim, pela mais absoluta retidão. Orgulho-me de ser filho de Teresa Sobral Rollemberg, a mãe zelosa e atenta de 14 filhos, para quem a passagem do tempo nada mais é do que a consolidação da infinita capacidade de compreender a plenitude da vida. 
Ao mencionar minhas origens familiares, renovo minha gratidão ao pequeno grande universo que minha esposa Márcia e eu tivemos a suprema ventura de constituir. A ela e aos nossos três filhos – Gabriela, Ícaro e Pedro Ivo – o comovido abraço de quem deles recebe, dia após dia, a comprovação de que não pode haver vida sem ternura e sem afeto. Minha carreira política não teria sido possível sem o incessante estímulo e as manifestações de carinho e de compreensão que deles sempre recebi. 
Elevo meu pensamento de gratidão aos que, por palavras e gestos, ensinaram-me efetivamente a fazer da política aquilo que Aristóteles definia como a busca do...
(Interrupção do som.)

 

O SR. RODRIGO ROLLEMBERG (Bloco/PSB – DF) – Assim, rendo minhas homenagens ao Senador Jamil Haddad, o grande socialista de quem tive a honra de ser Chefe de Gabinete nesta Casa. Na condição de Ministro da Saúde, escolhido pela fina sensibilidade política do Presidente Itamar Franco, ele notabilizou-se, entre outras realizações, pela introdução dos remédios genéricos no País, conquista de inestimável alcance social da qual tanto nos orgulhamos.
Reverencio, com respeitosa gratidão, a figura ímpar de Miguel Arraes, com quem tive a honra de conviver mais de perto em seus derradeiros anos de vida. Entre tantas e preciosas lições que dele pude recolher, certamente a maior de todas foi sua fortíssima vinculação com o povo. Com efeito, Arraes ensinou-me, na prática, que, sobretudo em face de uma sociedade tão perversa e brutalmente desigual como a nossa, o verdadeiro sentido da política consiste em dar voz aos historicamente silenciados, em dar vez aos secularmente excluídos do processo de desenvolvimento nacional.
Por fim, mas não menos importante, externo os meus mais profundos agradecimentos ao povo do Distrito Federal e aos militantes da única agremiação partidária a que me filiei: o Partido Socialista Brasileiro. Com o PSB, amadureci politicamente e pude reiterar minha opção por uma esquerda democrática, essencialmente humanista e visceralmente comprometida com a cidadania e com o ideal supremo de liberdade. 
Ao render minhas homenagens aos socialistas do Distrito Federal, diletos e fraternos companheiros de tantas e memoráveis jornadas cívicas, destaco a figura de Sebastião de Barros Abreu, Presidente de honra de nosso Partido no Distrito Federal e fonte de inspiração para o trabalho político de todos nós. 
Ao expressar meu sentimento de gratidão, lanço meu mais amoroso olhar para o povo do Distrito Federal. Abraço esses homens e mulheres, crianças e idosos, jovens e adultos, gente que soube, com dignidade e invulgar força de vontade, materializar a estupenda utopia de gravar, na imensidão do Planalto Central, a semente de uma nova, generosa e fraterna civilização brasileira.
Celebro com essa gente, capaz de compreender a bendita ousadia de Juscelino Kubitschek, Lúcio Costa, Oscar Niemeyer, Israel Pinheiro, Bernardo Sayão, Athos Bulcão e Ernesto Silva, entre tantos outros famosos ou anônimos candangos, concretizando-a e conferindo-lhe vida em abundância. Gente que fez da esperança o mote para uma caminhada vitoriosa, anunciadora de um Brasil novo e inovador, consciente de suas potencialidades e fonte inesgotável da criatividade.
É à minha querida Brasília que dedico o melhor de minha capacidade e o compromisso, que aqui reafirmo, de exercer o mandato que meus concidadãos me conferiram, com firmeza de caráter e lealdade aos princípios que sempre nortearam minha trajetória pessoal e política.
O Sr. Randolfe Rodrigues (PSOL – AP. Fora do microfone.) – V. Exª me concede um aparte?
O SR. RODRIGO ROLLEMBERG (Bloco/PSB – DF) – Com muito prazer, Senador Randolfe.
O Sr. Randolfe Rodrigues (PSOL – AP) – Senador Rodrigo Rollemberg, nesse pouco tempo de nossa convivência aqui já posso perceber que V. Exª trará para cá um belo legado, um legado de lideranças políticas tais quais V. Exª acabou de citar, lideranças políticas como Miguel Arraes. V. Exª trará para esta Casa um legado que já foi emprestado pelo Distrito Federal ao Senado da República de lideranças como Lauro Campos. Inclusive temos a honra de dar o nome de Lauro Campos à fundação do nosso Partido Socialismo e Liberdade. Conheço V. Exª, e tenho esse privilégio, há muito tempo. Pelo menos há 20 anos nos conhecemos. Começamos nossa militância política, carreira política, obtenção de mandatos políticos em comum, juntos, no mesmo período. A história de V. Exª tem sido pautada pela defesa dos ideais do socialismo com democracia, e comungo dessa opinião. Não há socialismo sem liberdade; não há liberdade sem socialismo. A grande deformação histórica do socialismo foi a não concessão da liberdade. Quando isso ocorreu, o socialismo fracassou. A sua trajetória, com certeza, honra, o povo do Distrito Federal, assim como a sua atuação aqui no Senado. Para mim, temos trajetórias políticas tão incomuns, tão parecidas, tão próximas, em momentos políticas tão parecidos, é uma honra estar com o senhor nesta Casa, estarmos juntos em bons combates, como aquele que lançaremos amanhã, que é o lançamento da frente parlamentar por uma reforma política com participação popular. Como diz São Paulo, na Carta aos Coríntios, o importante é sempre combater o bom combate e manter a fé. É nesse campo que se situa V. Exª. Parabéns, Senador. É uma honra. Muito obrigado pelo prazer e pela honra que a história e o destino me possibilitam de estarmos juntos na mesma Casa, aqui, no Senado da República. 
O SR. RODRIGO ROLLEMBERG (Bloco/PSB – DF) – A honra é minha, prezado Senador Randolfe. V. Exª aqui representa a renovação desta Casa e traz tantas esperanças ao povo brasileiro, especialmente ao povo do Amapá.
Sr. Presidente, Srªs e Srs. Senadores, chego a esta Casa consciente do que ela representa para a Nação. De sua instalação, no já longínquo ano de 1826, aos dias de hoje, o Senado foi e permanece sendo protagonista de primeira linha da história do Brasil. No Império, mais do que qualquer outra instituição, sua atuação foi decisiva para assegurar a integridade territorial e a unidade política do País em meio a uma América Latina que se fragmentava por completo. No regime parlamentar instaurado em 1847, que acompanhou desde então a experiência monárquica brasileira, assegurou a estabilidade política responsável pelo clima de paz vivido pelo País. 
Nos mais de 120 anos da República, exceção feita ao período ditatorial do Estado Novo, em que prevaleceu o indisfarçável unitarismo autoritário, o Senado sempre foi o fiador do modelo federativo consagrado pela Constituição de 1891. Talvez resida nesse federalismo tão bem representado pelo Senado, Sr. Presidente, a vigorosa razão para que, a despeito de tantas diferenças regionais, tenhamos feito da diversidade a consagração de nossa unidade.
O Sr. Itamar Franco (PPS – MG) – V. Exª me permite?
O SR. RODRIGO ROLLEMBERG (Bloco/PSB – DF) – Com muita honra, Presidente e Senador Itamar Franco.
O Sr. Itamar Franco (PPS – MG) – Senador Rollemberg, eu posso imaginar a emoção de V. Exª ao usar da palavra pela primeira vez da tribuna. V. Exª escutou há pouco o nosso jovem Senador Randolfe falar em São Paulo. Como V. Exª se referiu ao Ministro Jamil Haddad, eu gostaria, meu caro Senador Randolfe e meu caro Rollemberg, dizer algumas palavras. São Paulo uma vez, escrevendo a Timóteo, dizia: "Combati o bom combate, encerrei a jornada e guardei a fé”. Isso foi o que vi na vida do nosso querido Jamil Haddad. V. Exª me deixou muito emocionado ao citar Jamil Haddad. Ele foi tão injustamente criticado, algumas vezes, e não fizeram justiça a ele, meu caro Senador, em relação ao problema dos genéricos. O Senador Jamil Haddad foi o que mais lutou neste País para a implantação dos remédios genéricos, e, de repente, na campanha eleitoral, observávamos um determinado candidato que queria trazer para si o lançamento dos genéricos. Antes do falecimento do nosso querido Jamil Haddad, tive oportunidade de conversar e de dizer a ele: "Jamil, a vida pública é esta, é cheia de injustiça. Pouca gente se lembra daquilo que fizemos. Só se lembram daquilo que não fizemos”. Fico muito sensibilizado, quando V. Exª aborda uma série de recordações, quando V. Exª cita algumas pessoas que foram importante na sua vida pública. Hoje, isso é muito difícil, porque a gente só vale quando está no poder. Tem sido assim, de modo geral. Evidentemente, não todos, mas há uma certa amnésia, às vezes, na opinião pública, bem dirigida para aqueles que interessam e que estão no poder, que se esquecem que o poder é fugaz. Foi o caso do Jamil. Mas o Jamil teve uma vida brilhante. Meus votos de que Deus lhe ajude no exercício do seu mandato; que Deus lhe abençoe e que continue assim, fazendo justiça àqueles que um dia conviveram com V. Exª, para quebrarmos essa rotina do esquecimento. Meus parabéns a V. Exª!
O SR. RODRIGO ROLLEMBERG (Bloco/PSB – DF) – É muita honra, Sr. Presidente Senador Itamar Franco, ser aparteado por V. Exª. Saiba que tenho por V. Exª uma profunda admiração. Sou testemunha da amizade que V. Exª tinha pelo Senador Jamil Haddad, Ministro do seu governo, e da profunda admiração também que o Ministro Jamil Haddad nutria por V. Exª. Fico muito honrado de poder representar o Distrito Federal juntamente com V. Exª, que representa o Estado de Minas Gerais, nesta instituição tão importante, como é o Senado Federal brasileiro.
É pois, Srªs Senadoras, Srs. Senadores, com humildade, ante a força histórica desta Casa, que a ela agora me integro por decisão livre e soberana do povo do Distrito Federal. Faço-o imbuído da mais livre convicção de que é preciso promover a revalorização da política, entendendo-a como atividade essencial à realização do bem comum. 
A Srª Lúcia Vânia (Bloco/PSDB – GO) – Senador Rollemberg!
O SR. RODRIGO ROLLEMBERG (Bloco/PSB – DF) – Eis uma responsabilidade...
A Srª Lúcia Vânia (Bloco/PSDB – GO) – Concede-me um aparte?
O SR. RODRIGO ROLLEMBERG (Bloco/PSB – DF) – Com muito prazer, Senadora Lúcia Vânia.
A Srª Lúcia Vânia (Bloco/PSDB – GO) – Quero cumprimentá-lo pelo seu discurso e dizer da satisfação de estar aqui, ao seu lado, nesta Casa. Sei que V. Exª traz consigo uma trajetória de lutas, de sensibilidade com os problemas populares e, principalmente, com o povo brasiliense. V. Exª, aqui, nesta Casa, vem enriquecer a bancada do Centro-Oeste, e tenho certeza de que, juntos, haveremos de consolidar a implantação da Sudeco, do Banco de Desenvolvimento do Centro-Oeste e trabalharemos não só para a nossa região como também para o Brasil inteiro. Portanto, receba V. Exª meus cumprimentos, o carinho e a satisfação de tê-lo aqui como colega. V. Exª vai, sem dúvida nenhuma, mostrar seu brilho, através das ações que já estão sendo implementadas na Comissão de Meio Ambiente e que será nosso parceiro amanhã, numa audiência pública. Parabéns!
O SR. RODRIGO ROLLEMBERG (Bloco/PSB – DF) – Agradeço o aparte de V. Exª. Acolho como parte de meu discurso todos os apartes.

Quero dizer, Senadora Lúcia Vânia, que, como brasiliense, sinto-me também um pouco Senador de Goiás. Gosto muito, tenho um profundo carinho, um profundo amor pelo povo goiano e pelo Estado de Goiás.

O Sr. Antonio Carlos Valadares

(Bloco/PSB – SE) – Senador Rodrigo Rollemberg.

O SR. RODRIGO ROLLEMBERG

(Bloco/PSB – DF) – Com prazer, ouço o Senador Valadares, Líder do meu Partido.

O Sr. Antonio Carlos Valadares

(Bloco/PSB – SE) – Senador Rodrigo Rollemberg, eu o felicito pelo seu vibrante pronunciamento na sessão de hoje do Senado Federal, provando que V. Exª aqui chegou não como um homem inexperiente, como uma pessoa que, antes, não tinha exercido atividades políticas e sociais consentâneas com o exercício do mandato de um Senador da República tão importante no Brasil. V. Exª é filho de uma das grandes famílias de Sergipe. Grandes famílias de Sergipe, digo, porque elas contribuíram, sem dúvida alguma, para o desenvolvimento da nossa terra, da nossa terra comum. José Rollemberg Leite foi governador do Estado e tem laços de parentesco com V. Exª. O Armando Rollemberg, Ministro do STJ, pai de V. Exª, foi um dos grandes juristas deste País.

E, aqui, em Brasília, seja como Deputado Distrital, como Secretário de Turismo e, depois, Secretário do Ministério da Ciência e Tecnologia e como Deputado Federal, pontificou, pelo acendrado amor ao Distrito Federal e ao Brasil, com o compromisso com as questões sociais. Portanto, temos certeza absoluta de que, no exercício deste mandato e como Presidente da Comissão de Meio Ambiente, Defesa do Consumidor e Fiscalização e Controle, haverá de dar uma força muito grande, com sua experiência, para o fortalecimento do Senado Federal. Parabéns! E que Deus o ajude na sua caminhada!

O SR. RODRIGO ROLLEMBERG

(Bloco/PSB – DF) – Agradeço as palavras generosas ao meu Líder, Senador Valadares. Sem querer ser pretensioso, quero dizer que também me sinto um pouco sergipano, em função dessas raízes das quais tenho tanto orgulho.

Revalorizar a política, eis uma responsabilidade que assumo integralmente, na certeza de que estou contribuindo para a construção de uma sociedade mais justa, democrática e fraterna.

Sou um Senador socialista. Como tal, além do inegociável compromisso com a ética, sinto-me contingenciado pelo compromisso inarredável de lutar pela redução das desigualdades sociais e regionais. Julgo ser esse o grande desafio que nossa geração terá de enfrentar. A esse respeito, lembro que as vitórias obtidas no passado recente, como a estabilidade financeira trazida pelo real – e aí cito, mais uma vez, a importância do Presidente Itamar Franco – e a ascensão social de milhões de brasileiros, graças às políticas públicas conduzidas pelo Governo Lula, apontam o caminho que devemos trilhar. Felizmente, e não poderia ser de outra maneira, a Presidenta Dilma tem reiterado a prioridade de seu Governo em erradicar a miséria e em combater a pobreza em nosso País. Para isso, terá todo o nosso apoio.

Sou um Senador socialista, cuja atuação se dá no início do século XXI. Assim, compenetrado do sentido histórico do tempo presente, quero também pautar meu trabalho parlamentar pela defesa do desenvolvimento nacional nas novas condições impostas pela ordem global que a todos envolve. Creio que, a partir de suas extraordinárias potencialidades, de que são exemplos eloquentes os abundantes recursos naturais de que dispõe e a existência de um povo operoso e batalhador, o Brasil tem todas as condições de influir decisivamente na mudança de paradigma do desenvolvimento humano e mundial.

Sou um Senador socialista identificado com a concepção sustentável de economia. Para trás, ficou aquele tempo de progresso a qualquer custo, perniciosa visão que acompanhou a Revolução Industrial em seus dois séculos iniciais de existência. Desse modo, a partir da trincheira representada pelo Senado Federal, estarei vigilante em relação a toda e qualquer decisão que envolva o modelo de desenvolvimento adotado pelo País.

Justamente por isso, Sr. Presidente, Srªs Senadoras, Srs. Senadores, cioso da necessidade de combater excessos e inadequações de qualquer natureza, é que procurarei fiscalizar ações, oferecer sugestões e apontar alternativas que assegurem ao Brasil um desenvolvimento economicamente viável, socialmente justo e ambientalmente responsável. É o que pretendo fazer, sempre na perspectiva de que não somos seres politicamente, culturalmente e economicamente apartados de um mundo cada vez mais integrado, cujas fronteiras se tornam crescentemente permeáveis, especialmente quanto à circulação da informação e do conhecimento, apoiadas pela moderna tecnologia.

O Sr. Eduardo Suplicy

(Bloco/PT – SP) – V. Exª me permite um aparte, Senador Rodrigo Rollemberg?

O SR. RODRIGO ROLLEMBERG

(Bloco/PSB – DF) – Com muita honra, Senador Suplicy.

O Sr. Eduardo Suplicy

(Bloco/PT – SP) – Quero cumprimentá-lo e falar da afinidade que observo com respeito aos objetivos de construção por meios democráticos, assegurando sempre a liberdade de um Brasil efetivamente mais igualitário e justo, sobretudo com as considerações para se assegurarem a proteção ao meio ambiente e a sustentabilidade – espero que isso possa ser feito por meios pacíficos. Eu gostaria de, inclusive, cumprimentá-lo pelo fato de termos, hoje, apresentado – eu gostaria de informar que praticamente todos os Srs. Senadores aqui presentes já o assinaram – o requerimento de moção de solidariedade à posição do Governo brasileiro de propor um cessar fogo na Líbia, para que não haja mais destruição entre os povos que ali habitam. Que possa também a Líbia ser construída de maneira pacífica, com a colaboração de todos nós, inclusive, do Brasil, que percebemos como pessoas de todas as origens e raças podem muito colaborar umas com as outras, pois, afinal, sempre precisamos muito uns dos outros. Meus cumprimentos a V. Exª!

O SR. RODRIGO ROLLEMBERG

(Bloco/PSB – DF) – Agradeço-lhe, Senador Suplicy. Fico muito honrado com o aparte de V. Exª. Saiba também que, para todos nós da esquerda brasileira, V. Exª sempre foi referência. Acolho seu aparte como parte do meu pronunciamento.

Por fim, acredito que o Senado da República está sendo convocado a se debruçar não apenas sobre temas candentes da política interna, por mais complexos que sejam, a começar pelas reformas estruturais que não podem mais ser postergadas. As condições vigentes no mundo contemporâneo estão a exigir que a mais alta Casa do Poder Legislativo brasileiro também se envolva com questões de política externa, como acabou de afirmar o Senador Suplicy. Afinal, está em jogo a plena inserção internacional de um País que caminha para ser uma das cinco maiores economias mundiais, que almeja ocupar posição de destaque em organismos multilaterais e que compreende as circunstâncias nas quais se consolida a efetiva mundialização da economia e os riscos desse processo para os que não tiveram vez, para os que não têm voz.

Encerro as breves palavras com as quais me dirijo, pela primeira vez, a este Plenário com a humildade que deve caracterizar o aprendiz, mas com o senso de responsabilidade que deve sustentar a atividade política. Sinto-me honrado por pertencer a uma Casa que ajudou a escrever, em profundidade, a história do Brasil. Sinto-me honrado por representar a Capital da República no Colegiado que expressa e sintetiza a Federação brasileira.

Ouço, com muito prazer, o Senador Lindbergh.

O Sr. Lindbergh Farias

(Bloco/PT – RJ) – Falarei rapidamente, Senador Rodrigo Rollemberg. Não quero tomar seu tempo no final do discurso, mas tenho de saudar V. Exª ao fazer seu discurso inaugural. V. Exª significa muito para esta Casa. É uma esperança do Distrito Federal, mas é mais: V. Exª simboliza a renovação que este Senado vive, com novos desafios, com novos momentos, com a luta para se aproximar dos problemas do povo. V. Exª já chega presidindo uma importante Comissão desta Casa: a Comissão de Meio Ambiente, Fiscalização e Controle. Então, quero saudá-lo e dizer que é um prazer, um orgulho e uma honra ser Senador com V. Exª.

O SR. RODRIGO ROLLEMBERG

(Bloco/PSB – DF) – Senador Lindbergh, V. Exª sabe da minha alegria por poder conviver com V. Exª aqui, no Senado. Tenho certeza de que o povo do Rio de Janeiro, o Estado do Rio de Janeiro, que vive um processo de recuperação econômica, de recuperação da sua autoestima, terá em V. Exª uma liderança capaz de conduzir esse processo no Senado Federal. É uma honra poder desfrutar, neste mandato, da companhia de V. Exª.

Ouço, com muito prazer, o aparte do Senador Waldemir Moka.

O Sr. Waldemir Moka

(Bloco/PSDB – MS) – Senador Rodrigo Rollemberg, viemos da Câmara, do mandato de Deputado Federal. V. Exª, sem dúvida, é um destacado líder no seu Partido e também na Câmara, como um todo. Não tenho a menor dúvida de que V. Exª fará um grande mandato. Quero dizer, permita-me, que fiquei muito feliz com a indicação do Partido de V. Exª, do Bloco, para que V. Exª presidisse a Comissão do Meio Ambiente. É um debate importante. Fico feliz, porque, no comando da Comissão de Meio Ambiente, estará um homem equilibrado, com posições firmes, mas muito sensato e capaz, tenho certeza, de fazer com que esse debate chegue a bom termo, para que possamos construir, realmente, uma legislação que, antes de tudo, preserve o meio ambiente e não engesse o desenvolvimento deste País. É esse meu aparte. Saúdo a chegada de V. Exª ao Senado.

O SR. RODRIGO ROLLEMBERG

(Bloco/PSB – DF) – Muito obrigado, Senador Waldemir Moka. É uma honra muito grande que a Liderança do meu Partido e esta Casa me propiciaram: a de presidir a Comissão de Meio Ambiente, Defesa do Consumidor, Fiscalização e Controle.

Entendo que, na questão específica do Código Florestal, esta Casa tem o papel fundamental, como Casa Revisora, de produzir um Código equilibrado, que possa garantir que o Brasil seja, cada vez mais, um grande produtor de alimentos, um grande produtor de água e energia, mas que possa fazê-lo de forma sustentável, garantindo às futuras gerações uma qualidade de vida melhor do que a de que dispomos hoje. Tenho convicção, Senador Moka, de que o Brasil poderá fazê-lo, de que o Brasil será uma grande potência agrícola e também uma grande potência ambiental.

Ouço, com muita satisfação, o nosso querido Senador Cristovam Buarque.

O Sr. Casildo Maldaner

(Bloco/PMDB – SC) – Eu pediria também, se fosse possível, que me incluísse, Senador Rodrigo Rollemberg.

O Sr. Cristovam Buarque

(Bloco/PDT – DF) – Senador Rodrigo Rollemberg...

O SR. PRESIDENTE

(Paulo Paim. Bloco/PT – RS) – Senador Cristovam, só quero fazer um esclarecimento ao Plenário.

Estou sendo tolerante, porque é o primeiro discurso do nosso querido Senador Rodrigo Rollemberg. Espero que o Plenário entenda que é por isso que estou ampliando o tempo dele, de minha parte, com muita satisfação. Espero que o Plenário entenda isso.

O Sr. Cristovam Buarque

(Bloco/PDT – DF) – Em primeiro lugar, Senador Rodrigo, quero dizer que esse seu primeiro discurso é grandioso e está à altura de um Senador com muita experiência. Seu discurso tocou em cada um dos principais problemas que enfrenta nosso País, mas, além disso, seu discurso inovou na análise de cada um dos problemas que enfrentamos. Fiquei feliz, especialmente por ver como o senhor colocou a dimensão do meio ambiente dentro de um discurso socialista, porque ainda há alguns que se negam a incorporar o meio ambiente na visão socialista, e o senhor soube tratar disso com clareza. Fiquei feliz quando ouvi, repetidas vezes, o senhor dizer: "Sou um Senador socialista”. Sugiro até que este seja o título do seu discurso: "Sou um Senador socialista”. Essa opção orgulha muitos de nós, inclusive a mim. Como não sou do PSB, não posso dizer que sou um Senador socialista, mas posso dizer que sou um socialista Senador. Fiquei muito feliz por escutar seu discurso quando falou da importância da ética no compromisso de cada um de nós, políticos de esquerda, como o senhor se afirmou: político socialista. Mas, para concluir, quero falar da minha alegria de tê-lo como Senador pelo Distrito Federal. A gente estava precisando de um Senador da sua altura, do seu calibre, com seus compromissos. Era preciso haver um Rodrigo Rollemberg nesta Casa. Por isso, expresso minha satisfação de estar aqui, podendo saudá-lo nesse seu primeiro discurso. E que os outros sejam desse tamanho; não é preciso nenhum maior do que esse.

O SR. RODRIGO ROLLEMBERG

(Bloco/PSB – DF) – Senador Cristovam Buarque, a população do Distrito Federal sabe o que representa, para mim, um aparte de V. Exª. Tenho profunda admiração por V. Exª. Tenho a honra de dizer que sou seu amigo, tenho a honra de ter participado de uma eleição absolutamente conjunta com V. Exª e tenho a honra de ter servido ao seu Governo como Secretário de Turismo, o que me fez constituir um compromisso permanente com essa área e entender que o turismo é a forma mais rápida, mais inteligente, mais barata e mais sustentável de se desenvolver uma cidade, especialmente uma cidade com as características de Brasília, cidade que é Patrimônio Cultural da Humanidade. V. Exª é referência para todos nós do Distrito Federal. V. Exª representa, mais do que ninguém, a luta por uma educação de qualidade, pelo desenvolvimento por meio da educação. Portanto, é com muita honra que acolho o aparte de V. Exª.

Sr. Presidente, para concluir...

O Sr. Casildo Maldaner

(Bloco/PMDB – SC) – Permita-me um aparte, Senador Rollemberg?

O Sr. Blairo Maggi

(Bloco/PR – MT) – Também gostaria de aparteá-lo, Senador Rollemberg.

O SR. PRESIDENTE

(Paulo Paim. Bloco/PT – RS) – Faço um apelo aos dois Senadores que solicitaram apartes – sei que o Senador Rollemberg irá concedê-los – que o façam com brevidade, porque inúmeros Senadores me pedem que eu encaminhe o pronunciamento de S. Exª para o final, com o entendimento do Senador Rollemberg.

O SR. RODRIGO ROLLEMBERG

(Bloco/PSB – DF) – Com muita honra. Agradeço a generosidade de V. Exª, Sr. Presidente.

Ouço o Senador Casildo Maldaner.

O Sr. Casildo Maldaner

(Bloco/PMDB – SC) – Senador Rodrigo Rollemberg, já ouvi falar muito de V. Exª. E, no Senado, conheci melhor ainda sua humildade, seu jeito, seu trânsito no trato com as pessoas, não somente por V. Exª ser Presidente da Comissão do Meio Ambiente, tendo em vista, hoje, a importância do meio ambiente para o Brasil e para o mundo. V. Exª representa o Distrito Federal nesta Casa, mas eu diria que V. Exª representa não apenas o Distrito Federal, mas também um pouco de cada um dos Estados Federados. Portanto, V. Exª também representa os catarinenses que residem no Distrito Federal, e, assim, há uma composição do Brasil inteiro aqui. Por isso, V. Exª é mais do que um representante do Distrito Federal; V. Exª é um representante do Brasil como um todo, de certo modo. Meus cumprimentos a V. Exª!

O SR. RODRIGO ROLLEMBERG

(Bloco/PSB – DF) – Fico muito honrado, Senador Casildo Maldaner, com seus comentários. V. Exª, que foi muito acolhedor comigo desde os meus primeiros momentos nesta Casa, também é uma pessoa muito querida no Distrito Federal. Com V. Exª, tenho a honra de compartilhar amigos em comum.

Ouço, com muita alegria, o Senador Blairo Maggi, e concluirei em seguida, Sr. Presidente.

O Sr. Blairo Maggi

(Bloco/PR – MT) – Senador Rollemberg, quero cumprimentar V. Exª pelo início do seu mandato, que coincide com o início do meu mandato também. V. Exª já tem trânsito em Brasília, já foi Deputado Federal e conhece bem como funciona a política. Acabo de chegar, pela primeira vez, ao Senado Federal, passei aqui, muito rapidamente, como suplente do saudoso Senador Jonas Pinheiro, mas quero dizer que todos nós temos uma responsabilidade grande neste mandato. A sociedade espera bastante de nós. E, tenho certeza, pelo pouco que convivi com V. Exª, que teremos oportunidade de explorar seu conhecimento, sua lealdade e sua coragem de fazer enfrentamentos. Temas difíceis não faltarão, principalmente na Comissão que V. Exª está comandando neste momento. Portanto, parabéns pelo seu discurso! Seja bem-vindo ao Senado Federal! Nos próximos dias, também vou fazer, pela primeira vez, meu discurso aí dessa tribuna. Muito obrigado.

O SR. RODRIGO ROLLEMBERG

(Bloco/PSB – DF) – Agradeço a V. Exª, Senador Blairo Maggi. Tenho a convicção de que V. Exª também, com a imensa experiência que tem de homem público, de ex-Governador do seu Estado, dará uma grande contribuição a esta Casa. Faço questão de estar aqui, para também ouvir seu primeiro discurso.

Concluindo, Sr. Presidente, peço a Deus que me ajude a cumprir os compromissos assumidos, que me ilumine e que me dê discernimento para cumprir essa missão. Que eu consiga honrar a herança de dignidade recebida! Que eu possa contribuir para construir uma Nação justa e soberana e que trabalhe pela paz mundial! Que eu possa traduzir, em todas as minhas atitudes nesta Casa, meu sentimento de amor ao Brasil e de amor a Brasília!

Muito obrigado.

Fonte:
 
 
fazer comentario comentários
imprimir

 

Mais Discurso
A FACA DO FAC - [29/04/2014]
Dia do Artesão - [19/03/2014]

 
   Últimas Notícias
Cidadania
Rollemberg cobra nomeação de aprovados em concurso do Senado
Pesquisas
Rollemberg comenta pesquisa que aponta insatisfação dos brasileiros com questões básicas
Distrito Federal
Ministério Público e pesquisadores defendem manutenção da área da Embrapa Cerrados
Cidadania
Senado debate ameaça de retirada da Embrapa Cerrados
Política
PSB e Rede apresentam diretrizes de programa de governo para o DF
Ciência e Tecnologia
Embrapa inaugura Banco Genético e comemora os 41 anos da empresa
Política
Elogios a decisão do STF sobre CPI exclusiva para Petrobras
Distrito Federal
Rollemberg lembra aniversário de Brasília e prega o fim da desigualdade no DF
Política
Oposição indica servidor do Senado para vaga de ministro do TCU
Cidadania
Rollemberg: Datafolha revela declínio econômico resultante dos erros de Dilma
Educação
CPI com investigação ampla enfraquece o Legislativo, afirma Rollemberg
Meio Ambiente
Números de relatório sobre mudança climática do IPCC são alarmantes, alerta Rollemberg
PSB
Rollemberg explica posição do PSB em relação à CPI da Petrobras
Distrito Federal
Senador alerta para risco de criação de novas cidades no DF
Cidadania
Rollemberg defende regulamentação profissional de artesãos

Vídeo

 

footer_down_01