*/ Senador de Bras?lia:33 anos da comunidade católica Canção Nova
 
http://twitter.com/rollembergpsb http://www.facebook.com/pages/Rodrigo-Rollemberg/211341845581927 http://www.orkut.com.br/Main#Profile?uid=3314995351568856873 http://www.youtube.com/rollembergpsb http://www.flickr.com/photos/rodrigorollemberg
 
Discursos
         
Tamanho do texto
Atualizado em :27/09/2011
33 anos da comunidade católica Canção Nova
 
O SR. RODRIGO ROLLEMBERG (Bloco/PSB – DF) – Sr. Presidente Senador José Sarney; Sr. Senador Antonio Carlos Valadares, a quem quero cumprimentar pela iniciativa desta sessão; Senador Gim Argello; Sr. Wellington da Silva Jardim, cofundador da comunidade Canção Nova e Presidente da Fundação João Paulo II; Srª Luzia Santiago, cofundadora da comunidade Canção Nova e Vice-Presidente da Associação Privada Internacional de Fiéis; prezado Deputado Eros Biondini; prezado amigo Deputado Gabriel Chalita; prezado Reverendíssimo Padre George Tarja, representando o Arcebispo de Brasília, Reverendíssimo Sr. Dom Sérgio da Rocha; prezadas Senadoras e Senadores; prezados convidados que nos honram hoje com sua presença no plenário do Senado, junto-me a todos os que neste Senado Federal e pelo Brasil afora se irmanam na sincera homenagem à comunidade Canção Nova, pela passagem dos seus 33 anos de fecunda existência.

Começo a lembrar que esta sessão se justifica, basicamente, por duas razões essenciais: a primeira delas diz respeito à presença católica na formação histórica de nosso País. Sabemos todos que a partir das caravelas portuguesas que para aqui vieram e, sobretudo, a partir do momento em que a metrópole decidiu-se pela efetiva colonização de suas terras americanas, a presença desses religiosos tornou-se permanente e profunda a sua atuação. Não há, pois, como dissociar nossa formação histórico-cultural da influência exercida pela Igreja Católica ao longo dos séculos.

A segunda razão, Sr. Presidente, Srªs e Srs. Senadores, senhoras e senhores convidados, que nos honram com sua presença, concentra-se na própria Canção Nova. Em verdade, a semente lançada pelo Monsenhor Jonas Abib há mais de três décadas, frutificou, expandiu-se e passou a agir em várias direções, mas tendo sempre por norte a finalidade que lhe dá sentido e é sua própria razão de existir: a evangelização.

Sr. Presidente, creio que a Comunidade Canção Nova nasceu para preencher uma lacuna, em meio ao turbilhão de incessantes transformações da vida moderna, da recorrente busca da realização material e do constante apelo ao individualismo narcisista, sobreveio uma espécie de vazio espiritual.

A crise dos valores tradicionais que não mais se coadunavam com a inovadora realidade impulsionada pelo notável desenvolvimento científico e tecnológico acaba por fazer do homem o depositário natural de angústias e medos, algo capaz de fazê-lo sentir-se profundamente só em meio à multidão.

Penso que a Canção Nova veio oferecer sábia resposta a esse mal-estar da civilização. Seu crescente número de adeptos, seguidores e colaboradores, é a prova maior de que a disseminação da Boa Nova, nos moldes em que ela atua, encontrou terreno fértil.

Estou convencido de que a busca da transcendência impele milhões de fiéis a entender a assimilar a mensagem da Canção Nova. Acredito residir neste ponto o êxito da Canção Nova. Além da inspiração divina, que certamente e sempre a acompanha, ela busca atingir os corações, a partir da eterna sabedoria bíblica, e o faz nas condições proporcionadas pelo mundo contemporâneo.

Justamente por isso a Canção Nova utiliza-se dos modernos meios de comunicação de massa, cuja linguagem domina com perfeição. Ao oferecer produtos de elevada qualidade, cuja elaboração denuncia profundo esmero profissional, atinge, conquista e cativa um público fiel, sedento da palavra e pronto a aproximar-se do Pai e reconciliar-se com o Ele.

Que a Canção Nova continue a sua abençoada caminhada, ao ser elevada à condição de Associação Internacional de Fieis. Mediante o reconhecimento pontifício do Vaticano, a comunidade viu-se prestigiada pelo comando da Igreja.

Ao difundir rápida e profundamente pelos mais diversos rincões da Pátria, ela recebe o reconhecimento dos milhões de brasileiros, homens e mulheres que almejam a paz e anseiam pela Luz que emana dos céus. Afirmo que, 33 anos depois, o Monsenhor Jonas Abib pode olhar para trás e concluir que a conclamação de D. Antônio Afonso de Miranda Faça alguma coisa foi fielmente cumprida.

Assim, só me resta desejar vida longa à Canção Nova!

Muito obrigado.
Fonte:
 
 
fazer comentario comentários
imprimir

 

Mais Discurso
A FACA DO FAC - [29/04/2014]
Dia do Artesão - [19/03/2014]

 
   Últimas Notícias
Pesquisas
Rollemberg comenta pesquisa que aponta insatisfação dos brasileiros com questões básicas
Distrito Federal
Ministério Público e pesquisadores defendem manutenção da área da Embrapa Cerrados
Cidadania
Senado debate ameaça de retirada da Embrapa Cerrados
Política
PSB e Rede apresentam diretrizes de programa de governo para o DF
Ciência e Tecnologia
Embrapa inaugura Banco Genético e comemora os 41 anos da empresa
Política
Elogios a decisão do STF sobre CPI exclusiva para Petrobras
Distrito Federal
Rollemberg lembra aniversário de Brasília e prega o fim da desigualdade no DF
Política
Oposição indica servidor do Senado para vaga de ministro do TCU
Cidadania
Rollemberg: Datafolha revela declínio econômico resultante dos erros de Dilma
Educação
CPI com investigação ampla enfraquece o Legislativo, afirma Rollemberg
Meio Ambiente
Números de relatório sobre mudança climática do IPCC são alarmantes, alerta Rollemberg
PSB
Rollemberg explica posição do PSB em relação à CPI da Petrobras
Distrito Federal
Senador alerta para risco de criação de novas cidades no DF
Cidadania
Rollemberg defende regulamentação profissional de artesãos
Copa do Mundo
Rollemberg denuncia superfaturamento em obras do estádio de Brasília

Vídeo

 

footer_down_01