*/ Senador de Bras?lia:Comentários sobre eventos na área de saúde
 
http://twitter.com/rollembergpsb http://www.facebook.com/pages/Rodrigo-Rollemberg/211341845581927 http://www.orkut.com.br/Main#Profile?uid=3314995351568856873 http://www.youtube.com/rollembergpsb http://www.flickr.com/photos/rodrigorollemberg
 
Discursos
         
Tamanho do texto
Atualizado em :21/11/2008
Comentários sobre eventos na área de saúde
 
O SR. RODRIGO ROLLEMBERG (Bloco/PSB-DF. Como Líder. Sem revisão do orador.) - Sr. Presidente, Sras. e Srs. Parlamentares, gostaria de cumprimentar o Ministério da Saúde, na figura do Ministro José Gomes Temporão, e o Ministério das Relações Exteriores, na figura do Ministro Celso Amorim, pela realização, nos dias 18, 19 e 20 de novembro, da I Conferência Brasileira de Monitoramento dos Objetivos de Desenvolvimento do Milênio relativos ao Setor Saúde e da I Conferência Internacional de Monitoramento dos Objetivos de Desenvolvimento do Milênio relativos ao Setor Saúde.

O evento foi amplamente representativo e contou com a presença de 17 países — Argentina, Bahamas, Barbados, Bolívia, Brasil, Canadá, Colômbia, Cuba, Espanha, França, Guatemala, Honduras, Panamá, Paraguai, Peru, Uruguai, Guiné Bissau — e de São Tomé e Príncipe; de nove organismos internacionais; de 92 representantes de gestores federais, estaduais e municipais; de 8 conselhos de direitos e de órgãos colegiados; de 6 sociedades de especialidades; e de 59 Organizações Não-Governamentais — ONGs.

A realização em território brasileiro da I Conferência Brasileira e da I Conferência Internacional dos Objetivos de Desenvolvimento do Milênio relativos ao Setor Saúde torna imprescindível uma ação afirmativa de apoio ao cumprimento dos objetivos do milênio e entusiasmo por parte das lideranças políticas do País, mas também pede uma reflexão profunda sobre seu significado, seus desafios e compromissos.

Depois de longo período em que a estratégia político-econômica das nações e dos organismos financeiros internacionais focalizava primordialmente o equilíbrio financeiro e econômico, o mundo compreendeu a centralidade de valores universais que colocam a pessoa como sujeito da história — seu bem-estar e realização devem ser os alvos maiores da iniciativa de nações.

Os objetivos proclamados são os seguintes: erradicar a extrema pobreza e a fome; possibilitar a educação básica de qualidade para todos; promover a igualdade entre os sexos e a autonomia das mulheres; reduzir a mortalidade infantil; melhorar a saúde materna; combater o HIV/AIDS, a malária e outras doenças; garantir a sustentabilidade ambiental; estabelecer parcerias para o desenvolvimento.

O encontro redigiu a Carta de Brasília sobre os Objetivos do Milênio (ODMs) — itens 4, 5 e 6 — , que constata que o intercâmbio mútuo de conhecimentos e experiências pode fortalecer os laços de amizade entre os países e estimular o desenvolvimento de uma cooperação no campo da saúde.

Reconhecidamente, o Brasil tem formado paradigma nessas três áreas. Ações duradouras de Governos que se sucederam deram consistência a políticas, e o País vem colhendo os resultados disso.  É importante registrar, Sras. e Srs. Deputados, que conseguimos dar longevidade dinâmica a programas, para não politizarmos nem partidarizarmos a questão. É claro que devemos reconhecer o mérito de cada período e aplaudir os aperfeiçoamentos que se sucederam.

O Governo Lula pode exibir hoje estatísticas da mortalidade infantil, em que se registram vitórias significativas. No combate à AIDS, o Brasil continua andando para a frente em relação àquele que já foi considerado o mais avançado programa do mundo no combate à doença. Quanto à saúde materna — há muito situada como prioridade das ações do Estado — , essa primazia é ainda mais enfatizada no atual Governo.

O mais importante, todavia, é o reconhecimento de que a gestão pública brasileira já mostra sinais de amadurecimento e conscientização — exatamente esses traços que esperamos ver disseminados por todo o mundo — , capazes de manter políticas públicas calcadas na solidariedade, como valor supremo, através do tempo e dos Governos.

A reafirmação da perenidade dos objetivos do milênio durante a conferência é uma vitória do povo brasileiro e da Administração Pública como um todo. E é indispensável que, ao registrá-la como resultado e fundamento, não nos contaminemos com medo ou insegurança, mas com a esperança estofada pelo compromisso.

Aproveito para cumprimentar todos os profissionais da área de saúde pela comemoração dos 20 anos do Sistema Único de Saúde, grande conquista do povo brasileiro.

Passo a abordar outro assunto.

Sr. Presidente, Sras. e Srs. Parlamentares, registro a realização, em Brasília, do Primeiro Encontro de Biomédicos e Estudantes de Biomedicina do Distrito Federal, ontem no auditório do Laboratório Central de Saúde Pública do Distrito Federal (LACEN-DF), no período da manhã, e no auditório da Câmara Legislativa, durante a tarde e à noite.

O curso de Ciências Biológicas — Modalidade Médica foi criado em 1966 na Escola Paulista de Medicina, com o objetivo de suprir a carência de docentes especializados na área da saúde e também para formar cientistas em potencial, ou seja, pessoas que tenham familiaridade com métodos científicos e que possam, por meio desse conhecimento, desenvolver um plano de pesquisa dentro da área biomédica. Atualmente, no Distrito Federal, cinco instituições de ensino superior oferecem o curso de Biomedicina.

Biomedicina é a ciência que conduz estudos e pesquisas no campo de interface entre Biologia e Medicina, voltada para a pesquisa das doenças humanas, seus fatores ambientais e ecoepidemiológicos, com o intuito de encontrar sua causa, promover sua prevenção, diagnóstico e tratamento. No Brasil, os biomédicos dedicam-se principalmente às análises clínicas (exames laboratoriais); no entanto, muitos desses profissionais atuam como cientistas em centros de pesquisas, tais como a Fundação Oswaldo Cruz (FIOCRUZ), o Instituto Nacional do Câncer (INCA), o Instituto Butantan, o Instituto Nacional de Pesquisas da Amazônia (INPA), O Instituto de Pesquisas Energéticas e Nucleares (IPEN), entre outros.

No encontro de ontem foram discutidos temas importantes, como controle da infecção pelo vírus HIV, aspectos gerais sobre a malária e seu diagnóstico laboratorial, combate à dengue, entre outras doenças que merecem atenção especial das autoridades públicas na área da saúde.

Esse é, portanto, Sr. Presidente, Sras. e Srs. Parlamentares, um encontro de grande relevância para o fortalecimento desse promissor e relevante campo de conhecimento que é a Biomedicina. Em virtude disso, parabenizo o Sindicato dos Biomédicos do Distrito Federal e desejo sucesso a profissionais e estudantes na realização do Primeiro Encontro de Biomédicos e Estudantes de Biomedicina do Distrito Federal.

Muito obrigado.
Fonte:
 
 
fazer comentario comentários
imprimir

 

Mais Discurso
A FACA DO FAC - [29/04/2014]
Dia do Artesão - [19/03/2014]

 
   Últimas Notícias
Cidadania
Rollemberg cobra nomeação de aprovados em concurso do Senado
Pesquisas
Rollemberg comenta pesquisa que aponta insatisfação dos brasileiros com questões básicas
Distrito Federal
Ministério Público e pesquisadores defendem manutenção da área da Embrapa Cerrados
Cidadania
Senado debate ameaça de retirada da Embrapa Cerrados
Política
PSB e Rede apresentam diretrizes de programa de governo para o DF
Ciência e Tecnologia
Embrapa inaugura Banco Genético e comemora os 41 anos da empresa
Política
Elogios a decisão do STF sobre CPI exclusiva para Petrobras
Distrito Federal
Rollemberg lembra aniversário de Brasília e prega o fim da desigualdade no DF
Política
Oposição indica servidor do Senado para vaga de ministro do TCU
Cidadania
Rollemberg: Datafolha revela declínio econômico resultante dos erros de Dilma
Educação
CPI com investigação ampla enfraquece o Legislativo, afirma Rollemberg
Meio Ambiente
Números de relatório sobre mudança climática do IPCC são alarmantes, alerta Rollemberg
PSB
Rollemberg explica posição do PSB em relação à CPI da Petrobras
Distrito Federal
Senador alerta para risco de criação de novas cidades no DF
Cidadania
Rollemberg defende regulamentação profissional de artesãos

Vídeo

 

footer_down_01