*/
 
http://twitter.com/rollembergpsb http://www.facebook.com/pages/Rodrigo-Rollemberg/211341845581927 http://www.orkut.com.br/Main#Profile?uid=3314995351568856873 http://www.youtube.com/rollembergpsb http://www.flickr.com/photos/rodrigorollemberg
 
Artigos
         
Tamanho do texto
Atualizado em :24/11/2008

Lições do gesto de Garibaldi

Deputado avalia decisão do senador Garibaldi Alves (PMDB-RN) de devolver ao Planalto Medida Provisória que renova o certificado de filantropia de mais de 2.200 entidades

Abre espaço para importantes reflexões a decisão do presidente do Senado Federal, Garibaldi Alves, de devolver ao Planalto a Medida Provisória 446, que renova automaticamente, ou seja, sem a devida análise, o certificado de filantropia de mais de 2.200 entidades.

A medida tem o mérito de instituir critérios novos e aperfeiçoados para a concessão do certificado de filantropia. Porém, contém o grave defeito de contemplar, na renovação automática dos certificados, entidades de reputação duvidosa, inclusive aquelas consideradas suspeitas de corrupção pela Operação Fariseu, realizada em março pela Polícia Federal.

A oposição, naturalmente, comemorou a atitude de Garibaldi, na medida em que ela pode trazer desgastes ao governo. Esse, contudo, é um enfoque acanhado.

O próprio líder do governo na Câmara dos Deputados, Henrique Fontana, admitiu as falhas da MP. Fontana admitiu também que faltou diálogo com o Congresso – tanto com a base aliada quanto com a oposição.

Isso remete ao ponto fundamental: a necessidade premente de se estabelecer, no Brasil, um sentido mais democrático e republicano nas articulações entre Executivo e Legislativo. Esse não é um problema surgido no governo do presidente Lula. Ele é, na verdade, uma das marcas da nossa história político-institucional.

Nos períodos autoritários da vida política brasileira, o Congresso foi silenciado, tendo sido várias vezes fechado pelo Executivo. Nos períodos democráticos, inclusive o atual, iniciado com o fim do regime militar, o nosso parlamento vem assumindo, na maioria das vezes, um papel subalterno perante o Executivo.

A mudança no rito de tramitação das Mps, ora em discussão na Câmara, aponta em sentido contrário. No entanto, mais importante ainda é o fortalecimento de uma cultura do diálogo e da concertação, no relacionamento entre Executivo e Legislativo.

Sob uma perspectiva ampliada, essa cultura deve, igualmente, se espraiar como norma do relacionamento entre todos os atores políticos. Isso se aplica ao Brasil e ao mundo.

No âmbito interno, as últimas eleições para prefeito e vereador tornaram mais complexo o quadro partidário do país, em função do excelente desempenho do PMDB e da expressiva ampliação da representatividade de alguns partidos, entre eles o PSB.  Na esfera internacional, agrava-se a cada dia uma crise econômica que nenhuma força política ou nação, isoladamente, é capaz de resolver.

A postura assumida pelo presidente do Senado pode ser lida de diferentes maneiras. A melhor delas, certamente, é a que aponta para uma mudança em nossos processos de tomadas de decisão, de modo a fortalecer a negociação e o protagonismo dos diferentes atores e instituições.


Rodrigo Rollemberg (PSB-DF)
Deputado federal

 


Fonte:


fazer comentario comentários
imprimir
Compartilhe

 

Mais Artigos

 
   Últimas Notícias
Cidadania
Rollemberg cobra nomeação de aprovados em concurso do Senado
Pesquisas
Rollemberg comenta pesquisa que aponta insatisfação dos brasileiros com questões básicas
Distrito Federal
Ministério Público e pesquisadores defendem manutenção da área da Embrapa Cerrados
Cidadania
Senado debate ameaça de retirada da Embrapa Cerrados
Política
PSB e Rede apresentam diretrizes de programa de governo para o DF
Ciência e Tecnologia
Embrapa inaugura Banco Genético e comemora os 41 anos da empresa
Política
Elogios a decisão do STF sobre CPI exclusiva para Petrobras
Distrito Federal
Rollemberg lembra aniversário de Brasília e prega o fim da desigualdade no DF
Política
Oposição indica servidor do Senado para vaga de ministro do TCU
Cidadania
Rollemberg: Datafolha revela declínio econômico resultante dos erros de Dilma

Vídeo

 

footer_down_01